Senador Acir Gurgacz destina 2 milhões em emendas para combate à Covid-19

    0
    37ª Sessão Deliberativa (remota) da 2ª Sessão Legislativa Ordinária da 56ª Legislatura. Ordem do dia. Na pauta a MP 906/2019, que prorroga os prazos para que as prefeituras elaborem Planos de Mobilidade Urbana (PMUs). A sessão é realizada na sala da Secretaria de Tecnologia da Informação (Prodasen), é conduzida pelo presidente da Casa e conta com contribuições dos senadores que estiverem participando remotamente. Tela exibe senador Acir Gurgacz (PDT-RO) em acesso remoto. Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

    O senador Acir Gurgacz (PDT) destinou R$ 2 milhões em emendas orçamentárias para o combate à Covid-19 em Rondônia.

    A sua emenda de bancada tem por finalidade o “enfrentamento de emergência de Saúde Pública relacionado à Covid-19″, conforme detalhou o senador em ofício ao coordenador da bancada federal de Rondônia.

    Os recursos serão destinados para os serviços de atenção à saúde em unidades hospitalares e laboratoriais afetos a atendimentos, exames, tratamentos, internações e outros procedimentos complementares no SUS.

    “O valor destinado vai permitir mais agilidade ao governo estadual no atendimento à população, ampliando a estrutura das unidades básicas de saúde e também possibilitar a adoção de medidas preventivas, no combate a essa pandemia”, disse Acir.

    De acordo com informações divulgadas pelo Ministério da Saúde, o Brasil já tem 25 mortes e 1.546 casos confirmados de pessoas infectadas pelo novo coronavírus, em todo o país. Em Rondônia, o primeiro caso confirmado veio a público na última sexta-feira (19) através de uma nota oficial da prefeitura de Ji-Paraná.

    O senador Acir Gurgacz é conhecido no Estado como um dos parlamentares que priorizam a área da saúde, destinando a maior parte de suas emendas ao orçamento para os hospitais e unidades básicas de saúde dos municípios.

    Em decorrência da pandemia, na última semana, o senado aprovou o decreto que reconhece o estado de calamidade pública no Brasil e permite que o governo federal aumente o gasto público e descumpra a meta fiscal prevista para o ano.

    “Esse é um momento histórico na vida de todos nós brasileiros e da humanidade. Precisamos nos unir, prefeitos, vereadores, deputados estaduais e federais, senadores, governadores e presidente da República, para dar apoio aos nossos médicos, enfermeiros e demais profissionais da saúde, que estão fazendo um excelente trabalho, e trazer de volta ao normal a vida da população”, ponderou o senador.