Acir defende desconto continuado na tarifa de energia para agricultura familiar

    0

    O senador Acir Gurgacz, defendeu nesta segunda-feira (08), em pronunciamento no plenário do Senado Federal, o Projeto de Lei nº 661/2019, que estende para 24 horas por dia, o desconto nas tarifas de energia elétrica para o bombeamento de água na irrigação da agricultura familiar. Atualmente, os agricultores familiares têm esse desconto no período de somente oito horas e meia, entre às 21h30min e as 6h do dia seguinte.

    De acordo com Acir, esse desconto, apenas nesse horário noturno, força o agricultor a programar seu sistema de irrigação para um período em que ele deveria estar descansando, ou seja, já não basta o agricultor trabalhar de Sol a Sol, mas para ter direito a desconto de energia para irrigação ele também tem que trabalhar a noite.

    – Muitos agricultores ou piscicultores de Rondônia até programam seus sistemas de irrigação e aeração da água para o período noturno, mas isso de fato não representa uma grande economia, na medida em que tem que pagar adicional noturno para funcionários que monitoram esse sistema, ou eles mesmo terem que trabalhar um turno adicional – destacou Gurgacz.

    Acir também alertou sobre a política do governo que é de privatizar o sistema elétrico, mas chamou a atenção para as dificuldades que a população vem enfrentando em Rondônia, onde a empresa responsável pelo fornecimento de energia Ceron/Eletrobras Rondônia foi privatizada e hoje se chama Energisa.

    – A Energisa foi a empresa que assumiu as rédeas da Eletrobrás Rondônia e está reiteradamente abusando da liberdade econômica a qual passou a usufruir no pós-contrato, ultrapassando, ainda, todos os limites razoáveis em termos de operacionalização, incluindo os estipulados por lei – pontuou o senador.

    No começo do ano, quando ocorreu um aumento de 27%, houve uma redução temporária  de 7% convalidada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), agora, estamos diante da possibilidade de pagar os 27% fixados há muito para o reajuste.

    – Entendo que não há com retroceder ou chorar sobre o leite derramado, mas não podemos permitir abusos como estes. Na sexta-feira, tivemos mais uma audiência pública em Porto Velho para garantir pelo menos a manutenção dos 7% de redução da energia – finalizou Acir.