Notícias
05
DEZ
  Avança projeto que aperfeiçoa aproveitamento de potenciais energéticos

Projeto que cria mecanismos para aperfeiçoar o planejamento do aproveitamento dos potenciais de energia hidráulica do Brasil (PLS 603/2015) foi aprovado, nesta terça-feira (5), pela Comissão de Infraestrutura (CI). De autoria do ex-senador Delcídio do Amaral, o texto prioriza o licenciamento ambiental de potenciais hidroenergéticos estratégicos ou estruturantes. O texto segue agora para análise da Comissão de Meio Ambiente (CMA).

Os potenciais hidroenergéticos serão considerados estratégicos ou estruturantes se assegurarem uma tarifa módica com confiabilidade do sistema elétrico, e se atenderem à demanda nacional de energia elétrica.

Pelo projeto, os estudos que embasam o licenciamento deverão ser continuamente acompanhados com recomendação de eventuais correções e mitigação ou compensação dos impactos ambientais negativos.

Dentre as fontes renováveis priorizadas, o projeto determina a explicitação, no Plano de Expansão, de todos os aproveitamentos de potencial hidráulico previstos para garantir a oferta, com informações acerca de sua relação custo-benefício sob os aspectos econômico, ambiental e energético; e avaliação inicial dos impactos socioambientais, inclusive sobre terras indígenas e quilombolas e demais populações tradicionais.

Ainda de acordo com o projeto, potenciais hidroenergéticos estimados, cujos inventários ainda não foram aprovados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), poderão ter uso temporário por dez anos após a entrega do inventário. Se o potencial for confirmado e, além disso, for considerado estratégico ou estruturante, ele será objeto de proteção permanente.

Durante este período de dez anos, em que fica garantido o uso temporário dos potenciais hidroenergéticos estimados, o Ministério de Minas e Energia terá que autorizar previamente a destinação diversa, inclusive para criar espaços territoriais protegidos e para impor limitações administrativas. Se o potencial hidroenergético for considerado estratégico ou estruturante, a destinação diversa dependerá de aprovação do Congresso Nacional.

Balcão único

O projeto ainda cria um balcão único para licenciamento ambiental prévio dos empreendimentos. O balcão será constituído por representantes do órgão ambiental licenciador, da Fundação Nacional do Índio (Funai), do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), da Fundação Cultural Palmares (FCP), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e do Ministério da Saúde. A licença ambiental prévia será concedida em favor da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) ou de entidade devidamente autorizada.

O balcão único de licenciamento deverá emitir parecer conclusivo sobre a viabilidade ambiental do aproveitamento de potenciais hidroenergéticos, abarcando todos os temas de competência dos diferentes órgãos que o compõem, inclusive ouvindo populações indígenas, quilombolas e tradicionais eventualmente atingidas.

Na fase de elaboração de estudos ambientais serão envolvidos ainda o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) e a Agência Nacional de Águas (ANA).

O autor do projeto sustenta que é dever do poder público planejar o uso sustentável dos recursos hídricos para fins de hidroeletricidade e não proibir o seu uso indiscriminadamente. Nesse sentido, a garantia de realização de estudos de inventário em bacias hidrográficas dará maior segurança e efetividade ao processo de implantação de futuros empreendimentos de geração.

Problema sério

Com alguns ajustes de redação, o relator substituto da matéria na CI, senador Acir Gurgacz (PDT-RO), deu voto favorável ao PLS por entender que o projeto se propõe “a atacar um problema sério e de grande impacto nas obras de infraestrutura do país”.

Acir apontou o atraso em empreendimentos que visam à melhoria das condições de produção de energia elétrica no Brasil em razão da demora nos processos de licenciamento ambiental, que terminam por aumentar o custo e por limitar a eficiência produtiva. Exemplo citado no relatório foi o das linhas de transmissão que deveriam interligar parques eólicos da Região Nordeste ao Sistema Interligado Nacional (SIN).

“Outra importante causa da morosidade do licenciamento ambiental é a judicialização sistemática do processo. O ativismo ambiental de organizações não governamentais e mesmo de procuradores e juízes, no mais das vezes pertinentes e corretas, costuma também estar contaminado por medidas meramente procrastinatórias, uma verdadeira litigância de má-fé. Esse tipo de contaminação poderá ser afastado em grande medida caso o balcão único de licenciamento seja implantado, porque haverá uma instância superior, com respaldo do Congresso Nacional e do Poder Executivo, que terá mais peso diante do Poder Judiciário”, completou o relator.

Carajás

Também foi aprovado requerimento do senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA) para uma audiência pública que debaterá as condições para a renovação da outorga da ferrovia de Carajás, no Pará. A intenção do senador Flexa é que o governo firme algum compromisso com o estado para usar os recursos dessa antecipação da renovação em investimentos no próprio Pará.

Para o debate, foram convidados o governador Simão Jatene; o ministro dos Transportes, Mauricio Quintella; o diretor da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Jorge Bastos; o presidente da mineradora Vale, Fabio Schvartsman; e o secretário de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia do Pará, Adnan Demachki.

« VOLTAR

 
 
 
 
mais noticias
08
DEZ
  Ji-Paraná terá curso de Medicina
07
DEZ
  Projeto de Acir que impede suspensão de obras públicas é aprovado
07
DEZ
  Projeto do senador Assis Gurgacz inclui assistência técnica no crédito rural
07
DEZ
  Plenário examinará projeto sobre calúnia contra candidato a cargo político
06
DEZ
  Acir Gurgacz saúda emenda constitucional que beneficia servidores de ex-territórios
30
NOV
  Acir defende realização de balanço anual do presidente da República sobre educação
29
NOV
  Acir Gurgacz defende escola pública em tempo integral
28
NOV
  Comissão vai verificar obras de manutenção e estado da BR-319
22
NOV
  Acir destaca aniversário do município de Ji-Paraná
21
NOV
  Acir Gurgacz sugere incentivo fiscal para recuperacão de áreas degradadas